quinta-feira, fevereiro 14, 2013

Quem não tem meta, não tem destino!!!


Ei meninas, como foram de Carnaval?!
Eu mantive minha RA, caminhei todos os dias e.... estou com o mesmo peso. PACIENCIA!
Mas, nessas horas que me lembro desta historia, afinal sem meta, objetivo e foco nunca iremos alcançar nossos objetivos! Vem cá pra ver e conhecer:

Siluandra Scheffer conseguiu realizar esse sonho. Hoje, ela olha para o passado e se orgulha de ter conseguido vencer as barreiras da pobreza na infância, as humilhações que sofreu na adolescência e de ter tido força para continuar batalhando mesmo quando todos diziam “não” aos seus ideais.

Nascida nos arredores de Florianópolis, Siluandra cresceu em uma família com poucas condições financeiras e sua alimentação nunca foi das melhores. Como tinha de trabalhar desde criança, arrumou emprego em uma loja de balas importadas. “Fiquei empolgada, pois podia comer quantas quisesse. Resultado: engordei quase 15 kg”, revela. Depois de um tempo, quando já estava pesando 79 kg, foi trabalhar em uma loja de roupas. As vendedoras do estabelecimento costumavam humilhá-la e fazer piadas de mau gosto.

“Quanto mais humilhada, mais eu comia. Até que um dia a gerente da loja me chamou e me demitiu devido à minha aparência. Ela me disse que ser vendedora era como ser a vitrine de uma loja e eu não servia de vitrine para nada”.

Garota da bicicleta
Depois da humilhação por estar acima do peso, ela decidiu transformar a sua vida. “Fiquei arrasada, mas em vez de me vingar transformei a frustração em força de vontade”, conta. Apesar de estar determinada a perder peso e ganhar reconhecimento, Siluandra não tinha como procurar ajuda nutricional. Ela decidiu, então, reduzir a quantidade de alimentos que consumia. Tentou reeducar seu estômago a comer menos. “As pessoas não acreditavam em mim, ninguém apostava uma moeda no meu sucesso”, lembra.

Mesmo assim, ela não desistiu. “Muitas vezes nem tinha os ingredientes necessários para cozinhar, como quando fiz a dieta da sopa. Então tive de adaptar esse objetivo à minha realidade. Mas a maior dificuldade foi deixar de pensar com cabeça de gordinha. É fundamental acreditar que é possível”, afirma. Como também não tinha dinheiro para frequentar uma academia, ela saía do colégio e caminhava pelo bairro. Siluandra tinha como meta fazer uma hora de atividade física por dia. No fim de semana, ela saía para andar de bicicleta e acabou ganhando o apelido de garota da bicicleta.


Três vezes no topo
“Nunca cometi loucuras, por isso levei quatro anos para emagrecer. Aprendi a levar uma vida saudável com refeições balanceadas e prática de atividades físicas”, destaca Siluandra. Ao alcançar os 49 kg, ela decidiu que estava na hora de concretizar seu sonho. Pegou o vestido de uma amiga emprestado, os sapatos de outra – um número maior do que seus pés, mas isso não importava, ela estava determinada –, arrumou o cabelo “fiado” no salão e saiu para o concurso de Miss Palhoça ainda com bóbis na cabeça.

“Estava chovendo e o organizador do concurso não queria me deixar participar. Insisti tanto que ele permitiu. Acabei ganhando. Corri até em casa para contar a novidade e meus pais ficaram surpresos, pois nem eles acreditavam que daria certo”, lembra. Esse foi só o começo. Siluandra ganhou mais uma vez o Miss Palhoça e, depois, conquistou o Miss Indaial, em Blumenau (SC). Em 2006, ela mudou-se para o Rio de Janeiro e entrou em uma academia. Foi quando conquistou um corpão de dar inveja. “Não tenho os 49 kg da época de miss, mas ganhei massa muscular e estou muito satisfeita com os meus 59 kg”, comenta.


Dieta e não privação
Hoje, aos 33 anos e no auge da boa forma, a esteticista exibe um corpo sarado e revela qual foi o combustível que deu forças para ela realizar seus sonhos:
Entendi que emagrecer é apenas a cereja do bolo, e que dieta não deve ser encarada como privação. A busca pela boa forma anda de mãos dadas com a busca pela autoestima. Ou seja, a pessoa tem de pesar o que lhe faz sofrer mais: ver a imagem refletida no espelho ou deixar de comer batata frita.

Em 2011, uma editora de livros ficou sabendo da história de Siluandra e propôs que ela escrevesse uma obra contando sua história. Daí nasceu o livro Diário de uma ex-gordinha, que retrata a luta de Siluandra contra a balança. Atualmente, além de trabalhar como esteticista, a catarinense ministra palestras motivacionais em empresas e criou um site para ajudar outras mulheres que passam por situações como a que ela viveu.

Conselhos inspiradores
Força de vontade: sem recursos, a esteticista precisou de muita paciência para planejar, passo a passo, cada quilo que queria eliminar. E toda vez que pensava em desistir, mentalizava: “sou forte, vou conseguir”.

Equilíbrio à mesa: “Acredito que a reeducação alimentar seja o melhor caminho para emagrecer e nunca mais ter problemas com o peso. Quando você aprende a comer e ter consciência do que está colocando no prato e na boca, você não erra mais. Não sou radical, apenas minha primeira opção é o mais saudável possível”, ensina Siluandra.

8 comentários:

  1. oI amiga,
    Como foi de carnaval? Pronta p começar, recomeçar??
    Bjbj

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Vamos sempre lembrar dessa historia quando persarmos em desistir!

      Excluir
  3. Adorei a história é realmente assim que funciona, tem que ter metas, dedicação e tudo que puder colocar de força em cima :D! Tô fazendo isso e sei que vai dar certo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. isso mesmo Nise! dedicarrrr!!! ter meta!
      Vamos sempre lembrar dessa historia quando persarmos em desistir!

      Excluir
  4. Acho que vou me apegar nessa história aí!!! Sabe, ver casos de sucesso é algo que nos incentiva a continuar na luta ;D

    Adorei seu blog ;D Tô seguindo!
    www.kiwizero.com

    ResponderExcluir